Artigo de Mariana Valim sobre a Educação Musical e Boquinhas.

O ciclo de alfabetização do princípio dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental tem como objetivo maior o letramento, que seria o domínio dos códigos de leitura de mundo. Esses códigos são diversos, como o de leitura e escrita, matemático, espacial, temporal, e também musical. Logo, a alfabetização pode ocorrer em diversas áreas. Na Educação Musical, esse ensino do código dirige-se não só ao sistema de escrita em notas musicais, mas toda a percepção auditiva, criação, reprodução e expressão que envolvem o fazer musical, sendo um processo pedagógico-musical. A presença da Música nas escolas de educação básica permite uma transversalidade de conhecimentos e alfabetizações.

EDUCAÇÃO MUSICAL E BOQUINHAS

Aliando o princípio de integração das linguagens e transversalidade do conhecimento previsto na Base Nacional Comum Curricular para o ciclo de alfabetização, tomei conhecimento do Método das Boquinhas, e rapidamente associei ao trabalho de Educação Musical que realizo na escola.

Sou educadora, pesquisadora e formadora na área de Música, enfatizando o desenvolvimento vocal infantil através do canto. Nas aulas de Música, além dos conceitos e objetivos musicais, trabalho questões como: consciência vocal e corporal, aprendizado de controle do ar, da emissão vocal, da articulação dos sons, a percepção auditiva dos sons produzidos vocalmente, pois esta é a demanda mais urgente nessa fase de escolarização, mas também de formação da criança, que precisa expressar-se e comunicar-se eficazmente.

Trouxe o Método das Boquinhas para a aula de Música, com as imagens das “bocas”, articulando primeiramente as vogais, explorando o som dessas letras em diversas alturas de sons musicais. Uma música contendo todas as vogais era cantada, depois, em outras aulas, cada uma das vogais era contemplada com sua própria canção.

A brincadeira continuava com as outras letras, as consoantes. Fazíamos o som da Boquinha, associávamos a consoantes às vogais, formávamos palavras com cada uma das silabas, chamávamos os alunos cujo nome começava com aquela letra. Cantávamos: “o (B) é uma letra que se escreve no ABC, ô (Bianca) você não sabe como eu gosto de você”. Então, uma canção ou parlenda era aprendida com a letra do dia, neste caso, o B era de “Boi da Cara Preta”. A aula de Música seguia com atividades de ritmo e outros de objetivos musicais, partindo da letra do dia. Tudo com muita brincadeira e oralidade, o que é importante demais nesta faixa etária

Os alunos esperavam ansiosos o dia em que seria a letra do seu nome, para que pudessem ser chamados à frente e todo mundo cantar pra eles. Alguns até tentavam burlar, dizendo que aquela letra também tinha no seu nome, mas explicava que precisava começar o nome, e somente o primeiro nome, o segundo não valia.

Fui percebendo que, ao trabalhar com os alunos a articulação correta da boca para a emissão dos sons na canção, trazia a percepção musical da produção correta da voz, fazendo com que os alunos prestassem atenção no que produziam. Eles colocavam a mão na boca para perceber se era esse som mesmo que precisavam produzir, verbalizavam quando não conseguiam fazer o som corretamente, devido perda de um dente (que a fada-do-dente levou) ou hipotonia da língua, demonstrando que percebiam a diferença destes sons.

Interessei-me tanto pelo que estava acontecendo com as crianças, que este trabalho resultou em duas pesquisas. A primeira, foi um Trabalho de Conclusão de Curso da Licenciatura em Música, quando realizei a pesquisa-ação “A Educação Musical e o Desenvolvimento Vocal Infantil nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental”. A segunda, foi na Especialização em Alfabetização e Letramento, com o artigo “A Educação Musical e a Consciência Fonológica na Alfabetização de Crianças”. Nos dois, citei e utilizei o Método das Boquinhas como uma ferramenta também para as aulas de Música. Assim, a alfabetização musical conseguiu ocorrer concomitantemente com as diversas alfabetizações neste ciclo do início dos Anos Iniciais.

Mariana Valim- Licenciada em Pedagogia e em Música.